Mensagem ao Ursinho Puff

poohSegundo o site Huffington Post, Winnie the Pooh, também conhecido por aqui como Ursinho Puff, é uma fêmea ! O amigo do Cristóvão ganhou o nome Winnie the Pooh por causa de uma ursa chamada Winnie. Um veterinário inglês comprou a filhote Winnie durante a Primeira Guerra Mundial mas teve que deixá-la  no zoológico de Londres. Lá, Winnie era frequentemente visitada por um garoto. O menino amava tanto Winnie que deu o nome dela a seu próprio urso de brinquedo. O pai do garoto era Alan Milne, autor das histórias de Puff. Com esta situação bombando na internet, me senti obrigado a escrever uma mensagem para o Puff

Ah Ursinho Puff ! Depois de tantos anos agora você vem me contar que é uma ursinha ?! Esperava algo assim por parte de alguns dos teus primos, os Ursinhos Carinhosos, mas você me surpreendeu pela coragem. Será que foram os ventos modernizadores da sociedade que te inspiraram a fazer esta revelação ? O(A) Laerte ? A (O) Thammy ? Também pode ter sido aquele Ted, que tem hábitos mais liberais. Como devo te chamar daqui para frente ? Tinha pensado apenas em referir a você como Puff, sem gênero.Você topa ? E o Leitão, o Tigrão, e o coelhinho Abel, aceitaram bem esta sua mudança ? Você pretende tomar hormônio e colocar prótese de silicone ou é apenas algo íntimo, relacionado com a sua alma e o desejo de se sentir uma mulher ? Recomendo muito cuidado com os reacionários. Terá gente queimando os teus DVDs em praça pública e pedindo para a Ri Happy te boicotar. Aliás faz tempo que andavam comentando que você vivia sem calça e com uma camisetinha vermelha que sequer cobria o seu umbigo. Já tinham reclamado para o Bolsonaro e para o Feliciano. Agora então, virão para cima. Enfim, Puff. Conte comigo. Se quiser privacidade para poder namorar em paz com o Zé Colméia é só avisar. Temos um quarto de hóspedes em casa e mel da melhor qualidade. É só aparecer.

Monstro marinho

Uma das coisas que o dinheiro propicia às mulheres é uma maior facilidade para poder envelhecer com classe. Cabelos bem cortados, roupas bonitas , um creminho aqui outro ali, tudo deveria ajudar na batalha contra o tempo. Eis que no meio das férias , caminhando pela praia, me deparo frente a frente com Donatella Versace, sócia majoritária da grife que tem o seu sobrenome, caminhando de biquini. Todas as minhas teses sobre como o dinheiro pode ajudar ruíram imediatamente. Assustado, corri para o mar para fugir da assombração mas não foi suficiente… Não consigo mais dormir…Tenho pesadelos, vejo fantasmas…O que é aquilo ? O seu cirurgião plástico deveria ser processado por crime contra a humanidade. A mulher exala Botox pelos poros…sua pele é toda repuxada, seu lábio é tão inchado que parece que teve uma reação alérgica. Para completar o inferno de Dante, ela ainda resolveu fazer um topless…Nada é tão ruim que não possa piorar…

 

Pacato Cidadão

protestosOs protestos dos últimos dias em São Paulo geraram comentários intransigentes sobre o papel da polícia nos episódios (tem a turma dos pró, tem a turma dos contra), tratados ideológicos sobre o que representam R$ 0,20 ( tem a turma do “isto não é nem troco”, tem a turma do “imagine o impacto do aumento para quem vive com menos de um salário mínimo”). O que mais me chama a atenção no entanto, é a visão semi-unânime de crítica a quem está comandando as manifestações, que  não seriam aqueles que realmente precisam. São jovens brancos, barbudinhos e tatuados que documentam os seus protestos com IPhones e Androids e os compartilham em redes sociais. Eles estariam no lugar errado…Eles não teriam direito de protestar. Esta causa não lhes pertenceria.Tem uma vida boa, portanto deveriam se calar. No máximo poderiam se mobilizar para falar da falta de cobertura da rede 4G de seus celulares, da fila na Polícia Federal quando chegam de viagens internacionais ou do preço dos ingressos dos shows. Os mesmos que os acusam de arruaceiros e rebeldes sem causa, são os que os chamam de alienados e não politizados. Que resgatam histórias distantes de juventude nas ruas para pedir eleições diretas para presidente ou para reivindicar o impeachment de Fernando Collor….Na visão geral, brigar pelo preço da tarifa de ônibus deveria ser um direito apenas de quem efetivamente utiliza transporte público. Esquecem que ter acesso a  transporte público de qualidade é um direito de todos, independentemente da classe social de que se venha. Antes de ser “jovens classe média”, são todos cidadãos. Pacatos cidadãos. Se como cidadãos estão se mobilizando pelos seus direitos que deveriam ser assegurados pelo estado como transporte, educação, saúde, porque criticá-los ? Que bom que acordaram e perceberam que eles também tem direitos e podem exigí-los…Tenho dificuldade de entender o que há de errado nisto e não estou falando que algo justifique quebra quebra ou depredação…Estou falando da mobilização e da tomada da consciência da maioria e a maioria não é composta por vândalos e nem por depredadores. Não acredito que alguém queira se arriscar a tomar uns tiros de bala de borracha (por enquanto ainda são de borracha…) apenas para ter um roxo no corpo para poder postar e ter likes no Instagram e no Facebook…É subestimar demais o papel e a inteligência dos jovens.Estamos acordando.

Espírito maternal

UnknownSemana de ir a maternidade para visitas de cortesia. Ótima chance para compreender melhor a alma feminina e aprender sobre o espírito maternal. Engravidar e carregar um filho na barriga por nove meses é um fato que a natureza optou por reservar exclusivamente às mulheres e que tem implicações que os homens insistem em querer decifrar. Para eles, teoricamente todas mulheres ficam felizes com o produto final de sua gravidez, ou seja o momento do nascimento de seus filhos e é  isto é o que realmente importa. Certo ? Não !

As mulheres conseguem transformar a sua gravidez em uma espécie de jogos olimpícos do sexo feminino. É competição em todas as categorias…Começa com a disputa para ver quem engravidou mais rápido. A medida de sucesso é a quantidade de bimbadas necessárias. As medalhistas são aquelas que conseguem engravidar no menor prazo desde que liberaram os métodos contraceptivos. A impressão que as campeãs passam, é que entre acabar com a cartelinha da pílula e aparecerem grávidas, se passaram menos segundos do que o Usain Bolt precisa para correr os 100 m. Fenômeno…

images-3As velocistas, olham com desprezo para aquelas que tiveram que, por algum motivo, se submeter a um tratamento para engravidar.  Primeiro vem a pena, depois vem uma certa raiva, sobretudo quando a tão desejada gravidez é de gêmeos.É fantástico…Estas mães são tratadas como se tivessem  usado  doping e devessem ser eliminadas da competição. E o desprezo ? Você viu…Fulana está grávida de gêmeos, comenta uma. Ah, mas não vale…ela fez tratamento.Esquece-se completamente que o papel da medicina é justamente ajudá-las a conseguir engravidar, que é o que realmente importa para elas.

imagesE os kilos engordados ao longo da gravidez ? As mães se segmentam. Tem aquelas que querem dizer que engordaram pouco…são as “peso pluma”, quanto menos Kg, melhor. Já as mães “peso pesado”, e que optaram por se esbaldar por meses a fio, não querem ser  as campeãs no quesito “engorda”, por isto optam por focar no futuro, e competir em “menor número de meses pós parto para perder o peso adquirido”.

E o parto ? Depois de 9 meses, finalmente chega a hora… É outra grande competição…Na cabeça de algumas, medalha de ouro apenas para as campeãs que conseguiram ter seus filhos com parto normal. Mas só o parto normal não é suficiente para garantir o troféu de super mãe. Tem que ser sem indução ,urrando de dor com as contrações com bolsa estourando e correria para o hospital. Sem tudo isto, fica com cara de jogo amistoso. Não tem graça. Mas aquelas que tem seus filhos com cesáreas, não se fazem de rogadas. Resolvem também competir entre si, no caso para ver quem caminhou mais rápido com as suas pantufas pelo corredor do hospital e quem ficou com a menor cicatriz.

images-4A competição não se encerra no momento do nascimento. Inicia-se a categoria “quantidade de leite produzido e por quanto tempo”. Critérios utilizados em feiras agropecuárias para mensurar produtividade de vacas holandesas, são largamente aplicados entre as mães competidoras. Mãe de verdade é aquela cujo filho mama no peito no primeiro dia e que tem leite farto e abundante por meses. Se a criança precisou tomar “leite NAN”, na visão das “super produtoras”, a mãe envolvida deveria ser desclassificada.

Homens travam disputas  por coisas mais banais e cujos instrumentos de aferição não vão além de uma régua ou de uma fita métrica…A competição entre mulheres tem regras mais sutis e difíceis de serem compreendidas.

Arte abstrata

sp-arte11-624x350Fui a abertura da SP-Arte que vem a ser uma exposição coletiva das maiores galerias de arte do Brasil. Difícil saber se eu prestava mais atenção nos quadros ou no público. Um Di Cavalcanti para cá, uma Tarsila do Amaral para lá, um Picasso solitário de enfeite, várias fotografias em preto e branco, coisas legais, coisas horríveis…Mas e o público ?

De um lado os intelectuais, analisando em profundidade qualquer coisa que estivesse pendurada nas paredes. Olhares contemplativos, visão de raio X atravessando as telas , comentários intensos sobre os artistas, suas fases, os materiais e as texturas utilizados nas obras…Placas de saída de emergência e hidrantes eram analisados por eles como obras modernistas.

De outro lado,  a turma do gel. Pinta de banqueiros, engravatados, acompanhados de esposas que se produziram em cabelereiros ao longo da tarde. Bajulados pelos vendedores das galerias, olhavam discretamente para a etiqueta que identificava os autores dos quadros e o entusiasmo pela obra era imediatamente relacionado ao seu valor de mercado. Chiques, desfilavam pelo pavilhão da bienal bebericando Chandon nacional em taças de plástico.

Uma fusão de públicos bem abstrata…da próxima vez deveriam pendurar os maiores representantes destas tribos nas paredes…A exposição ficaria ainda mais divertida.

Achados e perdidos

Compartilho do leve defeito que dez entre dez homens tem, de confiar em seu senso de localização e se recusar a pedir informações sobre como chegar a um destino. O GPS foi uma das melhores invenções da humanidade para ajudar o homem desorientado (perdido jamais !) e poupá-lo dos discursos de mulheres que não compreendem a dor masculina de ter que perguntar algo. Esqueça paradas em postos de gasolina para questionar o frentista…O homem de verdade sabe que alcançará o seu destino, por mais que isto possa demorar um pouquinho mais…

Acabei de descobrir que o povo japonês também cumpre com louvor o papel de auxílio ao homem desamparado. Imerso entre mapas repletos de ideogramas, por vezes é fácil se confundir por aqui. Basta você abrir um guia ou ficar com cara de “lost” que surge do nada algum cidadão pronto a te ajudar. Ele te pergunta o que você precisa ! Você homem, não precisa se violentar e ir até alguém ! O japonês vem até você e não só te indica a direção a seguir ( isto não quer dizer que você entenda…), como desvia da rota e te acompanha até o seu destino. A amabilidade e a educação do povo são tão grandes que fazem com que você se esqueça dos problemas de comunicação e se esforce para compreendê-los para retribuir um pouco da simpatia que está recebendo. Se perder por Tokyo e interagir com o povo, tem sido um dos grandes achados da viagem.

 

Sandy sem Jr.

Nos últimos dias só dá Sandy (a tempestade americana, não a filha do Xororó e irmã do Júnior)…Chuva, inundação, destruição, falta de eletricidade, perspectiva de proliferação de ratos. Tudo muito ruim para toda a região atingida mas tem um aspecto interessante que é uma discreta solidariedade exibicionista aparecendo entre os  brasileiros das redes sociais . Ficou cool falar coisas como:  Vocês viram como ficou o Holland Tunnel ? E o Battery Park, destruído ? Para baixo da 27 ficou tudo completamente sem luz… Chelsea ficou intransitável… Acho que Bloomberg terá trabalho…Meatpacking foi muito atingido.Estão aproveitando a desgraça alheia para demonstrar uma enorme intimidade com NYC. Não estou falando dos nativos ou das pessoas que moram lá que devem estar absolutamente espantadas com o que aconteceu…Estou falando de uma parcela da Brazucada, que sempre que tem a chance, adora parecer “in” das cidades mais legais do planeta.  Estou esperando alguma campanha de mobilização organizada pela elite paulistana com o propósito de  ajudar os desabrigados New-Yorkers (os de New Jersey não dão muito Ibope nas nossas terras…deixemos que o Obama cuide deles)…Vamos arrecadar cupcakes,bagels e donnuts para as vítimas da Sandy. Pega bem entre as amigas e é  importante que a cidade se reconstrua rápido para dar tempo de nossa tchurma voar e fazer compritchas de natal. Sujeira e destruição deixamos para São Paulo em Janeiro, quando o Tietê transbordar…isto não combina com NY.

Inclusão gasosa

Todo mundo parece estar obcecado para entender os hábitos de consumo das classes sociais mais pobres e encontrar produtos que possam atender as suas necessidades e caber no seu bolso.A Coca-Cola aprendeu na América Central que um número enorme de consumidores não tinha dinheiro para comprar a garrafa do refrigerante em função dos centavos a mais que tinham que pagar como depósito pelo “vasilhame” ( me senti bem velho escrevendo “vasilhame”, coisa da década de 70), ou a embalagem de vidro retornável do produto. Os consumidores continuavam querendo a sua Coca e encontraram sua fórmula: pagavam apenas pelo líquido que era colocado em saquinhos plásticos pelos comerciantes. Coca-Cola em saquinhos ? Sim…Nada de garrafas icônicas ou experiências completas com a marca… Como aproximar a marca deste consumidor para quem cada centavo conta ? A Coca-Cola então teve a idéia de distribuir para os pontos de venda saquinhos com a forma de sua garrafa…o consumidor manteve seu hábito mas agora desfila orgulhoso a sua compra. Coca-Cola em saquinhos mas com cara de garrafa de Coca-Cola. Fiquei pensando no que deve acontecer com o gás do refrigerante mas isto pouco importa para estes consumidores, agora ainda mais próximos da marca. Foi  um movimento de inclusão gasosa…


4 patas e chifres

Os códigos estéticos de um grupo são fascinantes…embora as pessoas  prezem por  sua individualidade, parece que tem um prazer ainda maior em ficar absolutamente iguais entre si e garantir a sua aceitação e reconhecimento entre iguais. São como centenas de ovelhas Dolly, impossíveis de serem diferenciadas entre si. O mais interessante é que por mais variados que sejam os grupos, a relação com os códigos da tribo é igual. Da turma das pontocom, onde todos  se julgam diferentes do resto mundo mas se clonam com barbichinhas e camisetas pretas  a patricinhas com luzes californianas, calças de alfaiataria e camisas brancas, passando pelos adolescentes com suas peças de roupa da Abercrombie. Ah, os adolescentes…com o apoio deles, o alce da Abercrombie se reproduz em ritmo de coelhos nos shopping centers e nas saídas das escolas .

Meninos ostentam o alce com orgulho, em camisetas, pólos e bermudas de todas as cores e estampas. A Abercrombie and Fitch é uma marca que não está no Brasil, mas os jovens dão um jeito…Importam, pedem para pais e amigos trazerem de viagem, compram parcelado, mas sempre conseguem exibir suas Abercrombies. Será que alguns meninos mais conservadores e preconceituosos, ao verem o vídeo que encontrei hoje na internet repensarão se  mantém o orgulho de ostentar as roupas da grife ?

Parece  que o alce se aproximou demais de outro animal com quatro patas e chifres. Entre ficar na moda e ser macho, qual será a aposta da tribo da juventude ?

Express kidnapping and ATM blasting

Depois de uma semana tomada por jantares corporativos e jogos críticos da Copa Libertadores, finalmente o blog retoma o seu ritmo de produção. A freqüência  destes jantares, muitas vezes com platéias repetidas, esgotou minha pauta de assuntos e curiosidades sobre o Brasil para entretê-los. Falar sobre o tamanho da população japonesa em São Paulo, conforme já descrevi em outro post, não foi suficiente. Constatei que o tema triste mas que fascina os gringos é a violência na cidade. Eles já chegam procurando histórias sobre o assunto…Começam perguntando se assaltos ocorrem por toda a cidade, se o hotel deles está em uma região perigosa, relatam coisas que ouviram de outros viajantes.

A catarse começa  quando descrevo o que é um “express kidnapping” , o transe prossegue com um breve relato sobre o processo de  “ATM blasting”   mas o ápice de fascinação é saber que algumas pessoas na mesa possuem carros blindados. Explicar para um canadense de Halifax que cidadãos normais, funcionários da mesma empresa que ele e que não são o Obama ou o Bento XVI, dirigem “armored cars é uma experiência antropológica. Ele não acredita…pede detalhes… e tenho certeza que saiu do jantar com a convicção que veio visitar o velho oeste, terra sem lei. Falei sobre o Brasil que cresce, que a nossa economia é a sexta do mundo, que seremos sede da Copa do Mundo e das Olimpíadas, que temos praias lindas, riqueza cultural, florestas , um povo legal, uma democracia consolidada  mas tenho que admitir que o “awareness” do assunto violência foi bem maior. Triste mas real.

Posts anteriores

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Rumo a um bilhão de hits

  • 65.877 hits

Páginas mais populares

outubro 2019
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
%d blogueiros gostam disto: