Diálogos no tempo

vovo kokDizem que avós, possuem o benefício de poder “deseducar” os seus netos e mais do que tudo, fazer isto sem culpa e sem responsabilidade. A parte “chata” da vida cabe aos pais…A sabedoria popular diz que pais educam, avós estragam. E que prazer em estragar ! Casa dos avós deveria ser sinônimo de acesso ao proibido: brincadeiras, bagunça, dieta turbinada por calorias de bolos,chocolates e refrigerantes.
De repente, você pequenininho, encontra um avô diferente de tudo isto. A irresponsabilidade dele vem sob a liberdade dada a uma criança de ouvir papos filosóficos ou políticos, observar gargalhadas infinitas com piadas de humor negro e interagir com os cachorros batizados com nome de bebidas destiladas. Nada de Bob ou Rex, lá era Chopp e Schnapps…
No dia do seu aniversário ele te dá um envelope de banco reutilizado (não era época da consciência ecológica e da reciclagem, era por economia mesmo) e dentro você encontra ações preferenciais ao portador de uma indústria de mecânica pesada. Um passaporte de acesso ao mundo capitalista. Você se imagina como um tio Patinhas de calças curtas…Os meus amigos recebendo carrinhos e bolas e eu com ações PP cujo valor, segundo o meu avô,eu deveria acompanhar na Gazeta Mercantil, o único jornal que não tinha fotos e sim ilustrações feitas em bico de pena. Que coisa mais estranha.
Já era estranho o seu nome…Um nome dinamarquês que ninguém sabia ao certo como pronunciar. Era estranho ter crescido em um engenho de açucar em Piracicaba…
O tempo vai passando e de repente a estranheza começa dar lugar à uma certa fascinação. Você percebe que aquele não era um avô para menores de idade. O grande presente que ele tinha para te dar não era diversão ou brincadeiras, ou ao menos aquelas que você imaginava quando pequeno. O acesso ao proibido que ele reservava era poder compartilhar de sua inteligência aguda e de sua sede de saber. Era brincar e divertir o seu cérebro… Seria o meu avô uma versão analógica do Google ? Qual a origem do nome do município de Barueri ? E qual tinha sido a rota migratória da população do Alaska ? Por onde teria navegado o capitão Cook ? A senha para entender o meu avô chamou-se tempo…Tempo para para uma criança perceber que ele não estava declamando monólogos mas sim, te convidando para diálogos. E que levava tempo para você poder participar. O tempo ontem deu uma parada. Os diálogos mesmo que imaginários, continuarão para sempre.

2 Respostas para “Diálogos no tempo

  1. heliogianotti

    Sinto muito Cris Sua homenagem o honrou muito Beijo

    Enviada do meu iPhone

    Curtir

  2. beth

    Emocionante homenagem!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Posts anteriores

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Rumo a um bilhão de hits

  • 68.913 hits

Páginas mais populares

Mensagem ao Ursinho Puff
Branca de Neve - versão 2013
O mítico pão de semolina
Mostarda mas não falha
fevereiro 2015
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728  
%d blogueiros gostam disto: