Gente como a gente

IMG_2295Diz a lenda que uma cidade desenvolvida não é aquela onde cada um tem o seu próprio carro, mas sim onde todos utilizam os transportes coletivos (que funcionam!) e as pessoas sequer sabem o que é IPVA.

Uma coisa boa de viajar é que nos podemos brincar de ser cidadãos civilizados por alguns dias. Usamos transportes coletivos : pegamos metrô, encaramos vagões lotados, tomamos pisões no pé, sentimos aromas bem diferentes de um Channel número 5 e nos sentimos integrados a uma cultura cidadã.

Bonito ? Super. Mas enquanto eu via um rato robusto, realmente bem nutrido, se deslocando tranquilamente pelos trilhos do metro nova-iorquino, eu tive uma recaída e pensei: será que um morador rico e famoso do Upper West Side  também se submete a este nobre ritual diário de  encontro com a comunidade ?

Pois bem…Lá estava eu, humildemente sentado no banco duro do meu vagão de metrô, quando vejo se juntar a mim na minha intrépida jornada, Sarah Jessica Parker. Sim, Sarah Jessica Parker, atriz e protagonista de Sex and the City, salário anual que daria para comprar todo o trem para dar para o filhinho brincar de maquinista. Será que era ela mesma ? Poderia ser uma clone indo participar de algum programa de imitações no Raul Gil…Quando eu vi a sua malinha no chão, com direito a monograma e tudo, minhas dúvidas acabaram…

Obrigado, Sarah, você me deu uma lição prática de cidadania. Foi um prazer tê-la como companheira de viagem por cinco minutos (#tamojunto,#toisnovagao).IMG_2298

Shhhhh!

Esqueça aquela idéia que você tem do japonês da barraca da feira gritando para enaltecer as características de seus produtos e chamando a freguesia ou as gargalhadas sonoras da Sabrina Sato…Estes já foram tropicalizados.

Um trio elétrico em Tokyo é tão fora de contexto que nem os brasileiros tiveram esta idéia. O silêncio está ligado ao respeito da privacidade do outro e isto é um fundamento da cultura japonesa. O ambiente é de paz para os ouvidos…

Expresso Itaquerão

Para sair de Tokyo e ir para Toyota, onde o Corinthians jogou a sua primeira partida na busca do bi-mundial, o meio mais rápido e eficiente é o trem. São 2 horas, com conforto e qualidade para chegar até Nagoya, maior cidade grande próxima do estádio. O trem marcado para sair 11:03h, saiu às 11:03h, nem um minuto a mais, nem um minuto a menos, e chegou na hora programada. Muito tranquilo e com direito a uma bela vista do monte Fuji pela janela.

Com os milhares de corinthianos que estavam na estação, não deu para não pensar em como será o acesso para se chegar ao Itaquerão e refletir sobre a infra-estrutura (ou a falta dela) do Brasil. A viagem teve seus elementos pitorescos como o término da cerveja a bordo, abordagem de membros das torcidas organizadas vendendo badulaques para ajudar a pagar a sua estadia e um guardinha desesperado com os passageiros (por coincidência não eram os japoneses) que andavam de um lado para o outro, sentavam no braço das cadeiras e falavam alto.

Nada comparável a saga para se conseguir trocar os ingressos comprados pela internet e a desorganização pós jogo no metro de Nagóia.Se o trem é mesmo bala, lidar com uma multidão latina não é a maior fortaleza dos japoneses…ficam perdidinhos…Ainda bem que a vitória amenizou os problemas e o frio…

Fora dos trilhos

Em semana de greve de metrô e caos no trânsito sempre surgem discussões intermináveis sobre a escassez e a qualidade dos transportes públicos no Brasil.  Tudo parece estar fora dos trilhos…as linhas de metrô não atingem um nível de cobertura minimamente aceitável, servindo apenas um pedacinho de  São Paulo. Quando parece que o metrô irá crescer, uma hora aparece um buraco sugador de carros, depois um superfaturamentozinho que embarga as obras e aí surge a gente diferenciada, que se une e prefere se manter dependente dos carros. Estamos algumas décadas atrasados neste assunto…Não sei se na minha encarnação serei capaz de conseguir chegar de metrô até o aeroporto de Guarulhos…quem sabe os meus netos…Não precisava nem ir de trem bala…me contentaria com um trem estilingue ou uma  maria-fumaça, mas até isto está difícil.

Enquanto isto, como estímulo para aguardar o tempo passar, vale a pena ver este flash mob no metrô em Copenhagen…Violinos,flautas…Ficaria feliz se tivéssemos algo parecido por aqui, desde que começássemos  pelos trilhos e vagões…o ritmo dos músicos deixamos para discutir daqui uns 40 anos (até lá, quem sabe o sertanejo universitário tenha desaparecido).  Será uma longa viagem até o futuro…

Keep walking de metrô e não de carro

Não é fácil a vida das companhias fabricantes de bebidas alcoólicas. De um lado elas precisam estimular o consumo de seus produtos… pragmaticamente falando, quanto mais bêbados existirem perambulando pelas ruas, mais elas venderão e ao mesmo tempo, as empresas precisam zelar pela sua imagem corporativa, que deve ser socialmente responsável. Neste aspecto, os bêbados não representam exatamente elementos de paz e tranquilidade e dizer que você conta com eles para crescer o seu negócio, não pega bem.
Tentando encontrar este balanço entre o céu e o inferno, a Diageo , líder mundial no segmento de bebidas anunciou ontem que pelos próximos três anos, será a patrocinadora oficial do metrô de Londres durante a noite de ano novo . Das 23:45h até às 4:30 AM, todo mundo poderá andar de graça no metrô, por conta do grande amigo Johnnie Walker. Lewis Hamilton, garoto propaganda da Diageo aparece como divulgador da iniciativa.

Esta é uma boa forma de estimular as pessoas a se divertirem, celebrarem e portanto beberem e simultaneamente prestar um serviço a sociedade. Fiquei pensando que a Caninha 51 poderia fazer a mesma coisa com o Reveillon da Paulista e patrocinar o busão para a galera…Talvez não seja tão charmoso, mas sem dúvida que seria uma boa idéia (desculpem pela piada infâme mas é sexta-feira).

Assaltantes em extinção

Muitas vezes escrevo sobre tecnologia, com novidades sobre aplicativos, equipamentos etc…Hoje vou escrever sobre como a tecnologia está modificando as atividades de uma “profissão” bem tradicional, a dos “trombadinhas” (não encontrei um nome melhor para eles…) . A base do post é uma informação da polícia de Nova York (publicada no New York Times: http://www.nytimes.com/2011/11/05/nyregion) que possui um mapeamento de um grupo específico de bandidos que agem a moda antiga nos vagões de metrô de NYC: com um estilete, cortam os bolsos de pessoas bêbadas que dormem na volta das baladas e roubam as suas carteiras.

Tem até um nome para este tipo de roubo, se chama “lushing” e o sujeito quando acorda se dá conta de que está de ressaca, sem carteira, mais pobre e com um buraco nas calças. Aqueles que o praticam ter que ser hábeis o bastante para não acordar o bebum e não machucá-los com a lâmina. É uma arte… Sua faixa etária ? Senhores de meia idade nascidos entre 1931 e 1948. Quantos são ? 109 ! Sim, a polícia americana mapeou estes senhores e diz que eles são “técnicos especializados” e que não conseguem modificar seus hábitos e se adaptar aos novos tempos, se transformando em velhos conhecidos da polícia e que estão fadados a extinção. Quais são os novos tempos ? Ao invés de ter trabalho com estiletes e roubar carteiras, que em momentos de crise podem estar vazias, roubar IPads de USD 500,00 e SmartPhones para revender. É garantia de maior renda com menor trabalho!

Posts anteriores

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Rumo a um bilhão de hits

  • 62.628 hits

Páginas mais populares

novembro 2018
S T Q Q S S D
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
%d blogueiros gostam disto: