Tanque cheio de likes

Petróleo vindo do pré-sal ? Etanol ?? Existem combustíveis bem mais divertidos e interessantes. Um grupo de estudantes do Kansas desenvolveu um carro movido a energia social, encontrada em abundância na Internet…Basicamente o carro se movimenta transformando em eletricidade todos os likes,shares, tweets ou comentários feitos sobre o projeto e que mencionem a hashtag #minddrive. O plano é fazer com que  um Karmann-Ghia 1967 percorra a distância de Kansas City a Washington DC (+-300 Km) sendo movimentado por  “social watts” (na conta deles serão necessários 71.040 social watts para consegui chegar até lá…no site deles tem uma contagem regressiva que indica quanto falta…).

Decidi contribuir e seguir a turma no Twitter, o que equivaleu a 5 watts. Mais detalhes sobre o projeto e o “preço” do combustível podem ser encontrados em www.minddrive.org. Lá também o preço é tabelado….Vamos ajudá-los a encher o tanque, embora o mais fácil fosse pegar combustível emprestado de alguns chatos de Facebook, que devem ter estoque de comentários armazenados que permitiriam que o carrinho chegasse até a lua…PS: eles são americanos, não sabem batizar a gasolina…se soubessem , a missão seria mais fácil.minddrive-550x282

O papa é pop

bentoxvi-ipad-vaticanosapatos-do-papa-300x210O papa já tinha mostrado os seus sinais de conexão com o universo pop quando apareceu com os seus calçados Prada vermelho. Hype. Agora o Vaticano anunciou a criação de uma conta no Twitter para sua santidade Bento XVI (@pontifex, ou  “construtor de pontes” em latim). Mesmo sem ter postado nada, nem uma bençãozinha sequer , ele já tinha angariado 400.000 seguidores em horas. O primeiro tweet  é esperado apenas para o dia 12/12. Será bastante divertido ver quem o papa irá seguir (@justinbieber ??, @ladygaga ??,@katyperry ??…) e qual será o seu comportamento. Será que seus seguidores que se comportarem mau serão bloqueados e posteriormente excomungados ? Podemos esperar sermões em 140 caracteres ? Será que o Bento irá retweetar piadas contadas pelos cardeais ? E durante as missas ? Dará uma olhadinha discreta em seu SmartPhone para conferir as novidades ?? Estou esperando agora o seu ingresso no Facebook, com inevitáveis likes para a Capela Sistina e o Papamóvel. Em homenagem ao movimento de abertura do pontíficie à tecnologia, lembrei de um clipe com uma das músicas mais chatas de todos os tempos, composta pelos Engenheiros do Havaí, mas que ganha ares proféticos e inevitáveis neste momento, afinal o papa é pop (ou mais provavelmente, gosta de ser percebido assim…). Ouvir este clipe 5 vezes tem poder de absolvição por pecados cometidos equivalente a rezar 50 Aves Maria e é bem pior do que ajoelhar no milho…Se o pecado for mais grave do que isto, o que é difícil, recomendo ouvir 10 vezes “Infinita Highway”…Qualquer um que suportar esta penitência vai para o céu.

Raios nas ruas

Andar a pé em São Paulo não é das tarefas mais fáceis. As calçadas parecem uma prova de cross country em que você precisa driblar tampas de bueiro abertas, postes no meio do caminho, caçambas com restos de material de construção, sacos de lixo  e os infalíveis detritos que alguns donos de cachorros adoram deixar para brincar de simular um campo minado. Quando finalmente você consegue avançar em sua jornada, chega a hora de atravessar a rua. Novo desafio: carros que param em cima da faixa (quando a faixa existe), motoristas apressados que querem avançar o sinal com medo de assaltos, motoboys que assumem que a direita é livre e que a preferência é deles…Enfim, uma jornada épica. Vi no site www.yankodesign.com, uma tentativa de  transformar a vida do pedestre em algo mais protegido. Totens que emitem raios lasers e que se transformam em barreiras visuais (e virtuais) para ajudar os cidadãos a atravessar as faixas. Logicamente não impedem que  alguém queira brincar de espada de Jedi e cruzar o raio no momento errado mas com certeza ajuda na sinalização e proteção do trânsito. Idéia para o futuro. Simples e inteligente, é um uso bem melhor para o laser do que ficar brincando de cegar o goleiro do time adversário ou projetando o  raio no apartamento do prédio vizinho, principais funções atuais da tecnologia.

Um bilhão de amigos

Roberto Carlos cantava alguns anos atrás que gostaria de ter um milhão de amigos para poder cantar mais forte…Parecia muito. Mark Zuckerberg esta semana conseguiu ir um pouco mais longe e anunciou que aglutinou um bilhão de amigos em torno de seu Facebook. Mais do que um bilhão de usuários, como as pessoas se comunicam entre si, ele conseguiu criar um bilhão de redes sociais e isto é ainda mais impressionante. Me lembrei do McDonalds que um dia se orgulhou de dizer que tinha bilhões de hamburgers servidos e que agora se esforça para dizer que entre saladas e sorvetes, discretamente , até vende hamburgers.

Será que o Facebook sobreviverá ? Será que as pessoas seguirão se conectando através desta plataforma ou se cansarão de expor suas vidas ? Será que o “dislike” do Facebook está a caminho ?? Ainda faltam pelo menos 6 bilhões de pessoas para conquistar e Mark terá muito trabalho na Ásia e na África…

De qualquer maneira, ainda é tempo de comemorar e como seria difícil fazer uma festinha, Mark resolveu lançar a primeira campanha publicitária do Facebook. O fez em grande estilo…o filme é assinado por Alejandro Iñárritu, que dirigiu Babel e Biutiful. Nada como ter muitos amigos…

O poder da mente

Muito antes do Francisco Cuoco brilhar como o “Astro” ou do Fábio Jr. cantar “O que é que há ?” e tentar descobrir o que se passava na cabeça da sua mulher (devido a sua coleção de ex-mulheres fica difícil ser mais específico), sempre existiu um enorme fascínio por conseguir ler a mente das pessoas. O tema ainda é atual e sedutor. A Febelfin (Belgian Financial Sector Federation) resolveu utilizar o tema da clarividência para fazer uma campanha educativa ! Vale a pena assistir o vídeo que é ideal para deixar os paranóicos por segurança, daqueles que acreditam que o namorado da filha talvez seja um terrorista infiltrado e que tem certeza absoluta que a casa do vizinho na verdade é um posto avançado do Al Qaeda no bairro, ainda mais inquietos….

Nem blau blau e nem pimpão

As empresas que não são nativas no mundo digital tem se esforçado para acompanhar os seus jovens consumidores em suas viagens por novos segmentos . Observam-se aventuras e projetos nas redes sociais e a busca crescente por mídias que até algum tempo não faziam parte do plano clássico de investimentos em marketing destas empresas. Todos querem parecer moderninhos no Facebook, Twitter, Instagram e afins e descobrir formas novas e eficientes de se aproximar dos seus consumidores. Esta também era a idéia da Nestlé na Austrália…Para inaugurar a área  Instagram em sua página de Facebook, a empresa resolveu postar a foto de um mascote, vestido de urso e tocando bateria, utilizando Kit Kat como baquetas e com a absolutamente inovadora legenda “Rufem os tambores…Kit Kat está no Instagram”. O impacto da foto e desta mensagem revolucionária, provavelmente teriam sido nulos, se não fosse por um único motivo: o ursinho, não tinha nada de blaublau ou pimpão, ele estava vestido de maneira similar ao Pedobear.

Pedobear ? O Pedobear, é uma imagem associada a pedofilia e espalhada pela rede como isca para atrair crianças vulneráveis. Este ícone já tem sido perseguido em vários cantos do mundo e por isto não irei reproduzí-lo aqui. Os muito interessados em ver o urso em questão, por favor recorram ao Google por conta própria…Kit Kat, chocolate para crianças, em sua página oficial, fazendo menção a um ursinho bem pouco ingênuo….Não existe combinação pior. Restou a Nestlé retirar a foto, pedir desculpas e indiretamente reconhecer que há muito para aprender antes de se aventurar na Internet.

“Imagem e ação” virtual

O “Draw something” já se transformou no aplicativo mania dos últimos meses para Ipads e Iphones… Milhões e milhões de downloads nas últimas semanas e consequentemente, milhões de jogadores viciados. Para quem vive em outro planeta, o “Draw Something” é um tipo de “Imagem e Ação” virtual, em que você tenta advinhar o desenho feito na tela por um parceiro virtual. Na medida em que você e seu parceiro acertam, vão ganhado pontos que permitem a compra de novas cores e uma sotisficação maior dos desenhos. Você pode jogar e interagir com seus contatos, a quem se conecta via e-mail e Facebook, ou com estranhos espalhados por todos os cantos do mundo.

Os desenhos e a maneira de jogar falam muito sobre como são as pessoas na “vida real” e assim como na vida, no “Draw Something” se faz uma escolha dos parceiros com os quais você gosta de se relacionar. A vantagem do jogo é que é fácil romper relações…No meu caso, quando jogo com alguém que escreve a palavra ao invés de tentar desenhá-la, está decretada a sentença de morte…Eu erro de propósito e ainda coloco na minha resposta palavras meigas na tela. O pior de tudo é quando você faz um desenho que acredita ser espetacular , padrão Leonardo da Vinci, e que tem certeza que até seus sobrinhos de dois anos acertariam…algumas pessoas erram e fico com uma enorme vontade de aplicar um teste de QI online no meu oponente. Delicadamente o elimino de minha lista de oponentes…

Existem porém, as relações duradouras, em que você vai ganhando confiança e em que os estilos parecem combinar. Não conseguir advinhar o desenho e errar, te força a começar do zero depois de dezenas de rodadas. Algo deu errado…mas como a “amizade” é “velha”, vale a pena insistir e recomeçar em um exercício de tolerância e compreensão. Vamos ver quanto tempo a moda dura, mas confesso que o “Draw Something” tem sido um ótimo companheiro e definitivamente tomou o lugar das leituras que eu fazia no banheiro.

Maus usuários de e-mail: punição já !

Utilizar e-mail ainda parece ser uma ciência complexa para muita gente. Fico pensando no benefício para toda a sociedade se a função “reply to all” ou “responder para todos” apenas fosse habilitada para pessoas que comprovassem ter ao menos dois neurônios funcionando. Deveria existir processo similar ao da carteira de motorista…Você só pode dirigir um carro se for aprovado em provas teóricas e práticas e se cometer faltar graves, pode ter a sua habilitação cassada. Com e-mails também deveria ser assim…Enviou e-mail por engano para toda a lista de distribuição da empresa ? Bloqueio. Enviou e-mail para toda a empresa, repreendendo o indivíduo que mandou o e-mail errado ? E-mail suspenso – volte a se comunicar por memorandos e por telefone. Enviou e-mail que mais parecem romances de Machado de Assis ? Aula de recuperação, escrevendo  à mão, mil vezes em uma lousa “e-mails deve ser curtos e diretos”.

O mau uso da ferramenta não é privilégio tupiniquim. Esta semana li que na Aviva, segunda maior companhia de seguros do Reino unido, um cidadão enviou um e-mail por engano para 1200 funcionários . O conteúdo da mensagem ?  “Somos obrigados a lembrá-lo de suas obrigações contratuais para com a empresa que você está deixando. Você deve manter confidenciais informações relativas a operações da Aviva Investors, sistemas e clientes. Gostaríamos de aproveitar esta oportunidade para lhe agradecer e desejar sucesso no futuro”. Resumo: um e-mail que deveria ter sido enviado a apenas uma pessoa que seria demitida foi dirigido a 1200, de todas as partes do mundo, gerando um caos na empresa e obrigando o relações públicas a se manifestar perante o mercado para explicar o ocorrido. Alguém tem alguma dúvida que além do demitido original , o iluminado de recursos humanos que fez isto também deveria ter entrado na lista de demitidos e quem sabe, como último ato, enviar a dita mensagem a si próprio ?

Honrem os Jetsons !

Atualmente há um navio refazendo a rota percorrida pelo Titanic há 100 anos… Isto me fez pensar em quantas coisas se modificaram no mundo e como a tecnologia evolui mas a conclusão que cheguei, é que no segmento de transportes, passamos apenas por mudanças incrementais e nada realmente dramático ocorreu nas últimas décadas. Claro que os carros de hoje são muito mais desenvolvidos que os calhambeques de 1929, que um Jumbo é incrivelmente melhor que o 14 Bis e que o navio que o Schettino tombou ,em tese, era mais seguro que o próprio Titanic. Mas não é este o ponto…Onde estão os carros voadores que eu assistia nos Jetsons ?!
Onde estão os aviões supersônicos que dariam a volta ao mundo em horas ? Meu foguete particular para passar o final de semana na lua ? Nasci em um mundo sem computador, sem e-mail, em que o telefone era primitivo. Achava que fitas de cromo TDK e vídeos cassete de quatro cabeças, eram o máximo de tecnologia a que eu seria exposto . Tudo isto se transformou dramaticamente e o ritmo de inovação segue alucinante. Mas quando penso nos transportes concluo que a única coisa que realmente evolui significativamente é o trânsito. Não vale o argumento de que temos carros com combustível flex, ABS, câmbio tiptronic e bluetooth . Nem que agora temos aviões gigantes para centenas de passageiros com telinha individual ou superpetroleiros que sequer podem cruzar o canal do Panamá , tudo isto é incrível mas é apenas ganho de escala, são melhorias e não revoluções. Queria poder assistir novamente os Jetsons e acreditar que as “profecias” de duas décadas atrás foram realizadas…Por enquanto sigo esperando as grandes revoluções dos transportes. No ritmo em que as caminham minha última esperança é que as transformações se apliquem a cadeira de rodas que precisarei usar na minha velhice…quem sabe elas sejam voadoras, se não der tempo, que ao menos sejam comandadas pela voz e estacionem sozinhas.

Posts anteriores

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Rumo a um bilhão de hits

  • 65.880 hits

Páginas mais populares

outubro 2019
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
%d blogueiros gostam disto: