Marketing Espacial

O passeio pela estratosfera de Felix Baumgartner foi fantástico. Ele saltou de  39,000 m, atingiu a velocidade  de 1,342 k.h, enfrentou uma temperatura de -57° C e despencou em queda livre por 4 minutos e  20 segundos. Pousou suavemente e saiu andando como se tivesse acabado de desembarcar da ponte aérea. Alguns críticos estão falando que foi um grande espetáculo de Marketing mas que não representou nenhum avanço para a ciência, afinal o que ele conseguiu não foi muito diferente do que se fez em 1960. Exceto pelos técnicos da Nasa que trabalharam no projeto Apolo ou pela família do Yuri Gagarin, será que alguém mais se importa com isto ? Li que por recomendação médica, Baumgartner  não pode tomar uma latinha de energético antes do salto, no que provavelmente seria o merchand  mais glorioso da história (imagino o gerente de produtos pressionando por isto até o início da contagem regressiva). Isto não atrapalhou o show de exposição da Red Bull… Não sei quantas latinhas  se venderão a mais por conta do salto e quanto custou o projeto  mas ontem eu senti que a Red Bull literalmente deu asas para o nosso amigo Felix e associou de vez sua marca a tecnologia, aventura e  tudo que é radical. Ir para o espaço é para poucos… 

Isto porém não é exatamente uma novidade… uma outra marca se apoderou do espaço para construir a sua imagem: Tang. Sim, Tang, o suquinho em pó, que dependendo da quantidade de amigos que você convidava para almoçar, a sua mãe diluía em mais e mais água …Tang não foi desenvolvido pela Nasa mas fez parte do cardápio dos voos tripulados dos projetos Mercury e Gemini na década de 60. Ou seja, os astronautas tinham a sua disposição a mesma água tingida  que as mamães americanas serviam para os seus rebentos.   Estar a bordo destes voos foi um elemento de comunicação constante de Tang e um dos grandes responsáveis pelo seu crescimento no mercado americano por algumas décadas…O problema é que Tang, literalmente foi pelos ares e hoje é uma marca secundária no portfolio da Kraft, encontrada em regiões tão remotas do universo como Argentina e Filipinas, espécies de Plutão globais. Espero que este  não seja um mau presságio para a Red Bull e suas estratégias de Marketing…Com ciência ou sem ciência, o que eles fizeram em torno da missão Stratos quase me motivou a comprar uma latinha para agradecer e servir como ingresso pelo espetáculo. Deixei para comprar quando eles chegarem a Marte…

Cortando as asinhas

Red Bull te dá asas e voa alto. Os atributos ligados a marca austríaca de energéticos são de modernidade,vitória, sucesso. Exagerando bem mas é uma espécie de cigarros Hollywood versão século XXI, lembram-se ? Hollywood, o sucesso, clássico da década de 80…Esportes radicais, comerciais inovadores, bem produzidos e com trilhas sonoras incríveis, patrocinadora de todas as categorias de automobilismo…

Já a Red Bull, logicamente que em escala global e versão 2011,tem estratégia parecida. Tudo passa por Sebastian Vettel o mais jovem bi-campeão de Fórmula 1 da história e que é a cara da marca mas até no Brasil a fórmula da Red Bull foi parecida, patrocinando o carro de Cacá Bueno, filho do Galvão e piloto campeão da Stock Cars.
Mas e nos Estados Unidos, maior mercado do mundo para qualquer coisa ? Bom, por lá a fórmula de sucesso de associar a marca a times e pilotos vencedores fez água…Esta semana a Red Bull anunciou que está abandonando a Nascar, a categoria de automobilismo mais popular dos Estados Unidos. A experiência da Red Bull na Nascar foi um fracasso…
Este ano apesar de ter conseguido vencer uma prova, o seu melhor piloto, Kasey Kahne, terminou o ano em 14° no campeonato, enquanto o seu companheiro Brian Vickers, um genérico do Mark Webber,foi o 25°.Em 5 anos o time conseguiu 2 vitórias, 10 poles, 20 top-5s , 55 top-10s. Algo mais próximo de Rubinho,Bruno Senna e Felipe Massa que de Sebastian Vettel . A Red Bull fez uma série de iniciativas para promover os seus carros e seus pilotos na Nascar. Este ano fez o seu piloto saltar de paraquedas sobre o circuito de Daytona. Legal, cool,imagens lindas mas e as vitórias ? Sem sucesso as asinhas foram cortadas para a Red Bull nos EUA

Até de paraquedas o piloto saltou mas a equipe Red Bull fechou as portas na Nascar

. A Red Bull cortou as asinhas da Nascar mas continua com um monte de campanhas e ações tão legais quanto meio loucas. Escolhi esta do Blake Griffin, jogador de basquete americano. Depois alguém me explica…

Posts anteriores

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Rumo a um bilhão de hits

  • 70.294 hits

Páginas mais populares

Mensagem ao Ursinho Puff
Sorvete Napolitano
março 2021
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
%d blogueiros gostam disto: