Sansão

?????????????????????Hoje li que o nobre presidente do Senado da República, enviou um ofício ao comandante da Força Aérea Brasileira, questionando se deveria ou não ressarcir os cofres públicos por ter utilizado um avião oficial para ir a Recife fazer um procedimento de implante capilar. Embora o conteúdo da missiva não tenha sido divulgado pela imprensa, eu me pus a imaginar o que constaria em tão importante correspondência.

Excelentíssimo Sr.,

Na condição de autoridade aeronáutica máxima  de nosso país varonil, gostaria de obter o seu aval para o fato de eu, na condição de presidente do Senado Nacional, ter utilizado um avião da gloriosa Força Aérea Brasileira para viajar ao Recife, com o intuito de  me submeter a mais uma etapa de meu tratamento para crescimento de cabelo. Não compreendo o motivo pelo qual alguns setores da sociedade insistem em afirmar que esta viagem teve cunho particular e que eu deveria ter pago por isto (sem entrar no mérito de todo o óbvio desconforto que teria sido me submeter a um voo regular, sentado em uma poltrona que não reclina e alimentado com barrinha de cereal e um copo d’água) . Refuto veementemente este ponto de vista mesquinho e estou seguro que vossa excelência será solidária aos meus argumentos.

Como vossa excelência bem sabe, como presidente do Senado e notável figura pública, a minha imagem é fundamental. É impossível imaginar que as minhas madeixas interessem apenas a mim. São definitivamente uma questão de Estado e se me submeto a este penoso ritual de ter tufos enxertados em minha cabeça, é com o único objetivo de melhor servir à população de meu país e de contribuir com o fortalecimento das instituições desta auspiciosa nação . Como sumo especialista em aeronaves e aeroportos, vossa excelência compreenderá o dano que se causa a nossa pátria,o fato do presidente da mais importante casa do legislativo, ser frequentemente e jocosamente chamado de “aeroporto de mosquito”.  Seguro de sua compreensão, peço o seu endosso para que este voo seja formalmente classificado como uma despesa justificada, cujo propósito era absolutamente indissociável dos requisitos que a função de presidente do Senado exige.

Atenciosamente,

Sansão

Ricocheteando

Novo aplicativo no IPad ? Play Station 4 ? Não. O grande entretenimento das férias foi descobrir que com um pouco de técnica e uma dose de sorte, você é capaz de arremessar uma pedra e fazer com que ela quique na superfície da água antes de afundar. Foi um desafio que gerou excitação por uma semana em qualquer pedaço de rio, lago ou mar por onde passamos. Matéria prima não faltou: pedras e água por todos os lados.O prazer de ver a pedrinha ricochetear superava a diferença de idade entre nós. Simples e puro. Algumas pedras nos bastaram…

 

A quermesse

0008424b-642Mandela descansou. Finalmente foi sepultado. Depois de ficar trancafiado em uma cela solitária por 27 anos, talvez merecesse um bônus divino e direito a uma prorrogação maior de vida, com direito a chegar inteiro aos 200 anos, mas não teve jeito e sua hora chegou. O mais incrível foi ver a transformação dos fatos ao longo da semana. O day after à sua morte começou com elogios ao seu espírito conciliador, sua liderança, carisma , o seu papel decisivo em juntar os cacos de um país, reconhecimento como uma das maiores lideranças do século. Enfim, havia um clima de consternação global, com homenagens por todos os cantos.Uma rara unanimidade….

Os dias foram passando, parece que as notícias e os obituários perderam impacto e eis que um clima de quermesse se abateu sobre a África do Sul. Teve de tudo: um fun tour de todos os ex-presidentes brasileiros vivos, chaveco do Obama com  direito a selfie com a primeira ministra da Dinamarca e David Cameron segurando vela, biquinho ciumento da Michelle, Naomi Campbell em uma performance teatral, com cara de viúva inconsolável, Bono Vox pronto para subir no palco e pregar  e a cereja do bolo, que foi um picareta fazendo uma tradução inventada e cheia de licenças poéticas para a linguagem de sinais. Todos viajaram para um funeral e se comportaram como se fosse carnaval.

Mandela sábio e mito, deve ter visto tudo de cima e dado boas risadas. Sempre esteve bem acima de tudo isto. Não deve ter ligado…mas que seu funeral virou uma quermesse, isto virou.

A próxima onda

obama-turkey-pardon-del-blogAinda estou sob o impacto da Black Friday tupiniquim. Não por ter aproveitado os generosos descontos concedidos sobre preços gulosamente aumentados na véspera, a  “Increase Thursday”, mas por ver como o comércio brasileiro foi capaz de incorporar em gênero, número e grau mais uma tradição americana. Esqueça “liquidação do lápis vermelho”, “bota fora”, “saldão”…Nós agora também temos Black Friday ! Rumo ao primeiro mundo ! Brasil-il-il-il !

O “Black Friday” verde amarelo, foi consistente… Seguiu perfeitamente os passos do Halloween, praga que se alastrou a partir das inocentes escolinhas e inglês de bairro. Começou silencioso, clandestino e em menos de 3 anos, você tem impressão que sempre esteve por aqui. É verdade que ainda podemos evoluir…Faltou o camping de véspera, nas portas do Shopping Cidade Jardim e do Iguatemi JK, para a invasão  das lojas já às 7 horas  da sexta feira sagrada.Ano que vem isto possivelmente ocorrerá…aí sim estaremos com padrão USA.

Alguém tem alguma dúvida do que mais nos aguarda em breve ? Thanksgiving…Estou impressionado pela demora em ver um boom na venda de perus na última semana de novembro…Daqui a alguns poucos anos, será inevitável ver as famílias se reunindo para comemorar a data. Ainda nesta encarnação, tenho certeza que verei o presidente da república, do alto da rampa do palácio do Planalto, concedendo o perdão e salvando a vida de um peru, como Obama acabou de fazer esta semana.

Vai Brasil..um pouquinho mais de personalidade e autoestima caem bem de vez em quando….Sejamos um pouco mais originais…

Gente como a gente

IMG_2295Diz a lenda que uma cidade desenvolvida não é aquela onde cada um tem o seu próprio carro, mas sim onde todos utilizam os transportes coletivos (que funcionam!) e as pessoas sequer sabem o que é IPVA.

Uma coisa boa de viajar é que nos podemos brincar de ser cidadãos civilizados por alguns dias. Usamos transportes coletivos : pegamos metrô, encaramos vagões lotados, tomamos pisões no pé, sentimos aromas bem diferentes de um Channel número 5 e nos sentimos integrados a uma cultura cidadã.

Bonito ? Super. Mas enquanto eu via um rato robusto, realmente bem nutrido, se deslocando tranquilamente pelos trilhos do metro nova-iorquino, eu tive uma recaída e pensei: será que um morador rico e famoso do Upper West Side  também se submete a este nobre ritual diário de  encontro com a comunidade ?

Pois bem…Lá estava eu, humildemente sentado no banco duro do meu vagão de metrô, quando vejo se juntar a mim na minha intrépida jornada, Sarah Jessica Parker. Sim, Sarah Jessica Parker, atriz e protagonista de Sex and the City, salário anual que daria para comprar todo o trem para dar para o filhinho brincar de maquinista. Será que era ela mesma ? Poderia ser uma clone indo participar de algum programa de imitações no Raul Gil…Quando eu vi a sua malinha no chão, com direito a monograma e tudo, minhas dúvidas acabaram…

Obrigado, Sarah, você me deu uma lição prática de cidadania. Foi um prazer tê-la como companheira de viagem por cinco minutos (#tamojunto,#toisnovagao).IMG_2298

Vida de cachorro

Em meu vasto conhecimento sobre o universo canino, sempre acreditei que a situação de maior risco a que um beagle poderia ser exposto era quando o Snoopy resolvia dormir no telhado de sua casinha. Indo além,  Snoopy em um dia de fúria, poderia até  brigar com seu amigo Charlie Brown e vir a ser atacado pelo Woodstock. Nada muito além disto.

Nunca soube que os coitadinhos dos beagles eram os convidados  favoritos  para os  testes de laboratório…Aprendi que eles são os eleitos por serem cães que pertencem a uma raça antiga, sem grandes variações genéticas, em que todos os indivíduos são bastante homogêneos, o que assegura uma consistência nos resultados dos testes. Pensando em uma teoria da conspiração, fiquei imaginando se isto não teria sido uma grande idéia do Mickey Mouse. …. No fundo, o  Mickey sempre soube que as chances de uma mobilização via web, com direito a quebra quebra e invasão de laboratório, para defender seus familiares não era algo com muita probabilidade de ocorrer. Ele conversou com o Snoopy e pediu que ele e seus amigos criassem barulho sobre o tema. Conseguiu…O Mickey só fez mais alguns pedidos que o Snoopy esqueceu de passar para a frente:  avisar o pessoal que os ratinhos  (e seus priminhos nascidos na Índia),  também são seres vivos e  frequentam as bancadas há muito tempo e que a ciência precisa continuar evoluindo, inclusive para poder modificar a forma como os testes são feitos…

Guardião vs. Java

justice_league_heroes_wallpaper_by_kyomusha-d5fue49Eu sempre sonhei em ter um super-herói que se dedicasse a me proteger.  Vivia desamparado, observando a mobilização do Batman para lutar contra o Curinga, contra o Pinguim e o Charada . Sempre disposto a salvar a humanidade. Mas e eu ? O Batman não me representava, meus vilões poderiam ser outros…Nunca acreditei que o homem morcego, estivesse pronto para me defender dos meus verdadeiros inimigos…

Há alguns meses comecei a ter pesadelos com um vilão chamado Java. Java é silencioso e se materializa em forma de xicrinha de café, sempre atacando as suas vítimas  derramando líquido fumegante  dentro dos seus computadores. É paciente e determinado, age de forma cruel e lenta…Java não morre…se multiplica e renasce…Já está em sua sétima versão. Java é tão cruel, que segundo consta, seria capaz de  roubar toda a minha fortuna e me fazer morrer na miséria.  Java me imobilizaria e me estorquiria. Alguém precisava me salvar…

Graças ao Banco Itaú, finalmente encontrei um defensor particular. Nem precisei dar procuração. O Super Itaú, agindo como um Clark Kent do sistema financeiro, entrou na cabine telefônica e saiu vestido de Guardião. Tomou conta do meu computador disposto a derrotar o tal Java e definiu que enquanto ele não conseguir fazer isto, eu devo esperar. Itaú é um justiceiro ! Eu sempre desconfiei disto ao ver  como ele foi capaz de levar os juros ao infinito e além. Uma espécie de Buzz Lightyear laranja… um banco com espírito de herói.

O Guardião Itaú segue duelando com Java há meses. Dentro de minha própria sala !  Tento falar com ele para saber quando a batalha terá fim e se há algo que eu possa fazer. ..Quem sabe juntos, nós matamos o tal Java ?  Itaú, direto da liga da justiça, me fala que é meu guardião e esta batalha não tem data para terminar . Soberano, me alerta que eu corro risco e  preciso de proteção ! Argumento com Itaú que preciso pagar contas, transferir um dinheirinho. Convicto e magnânimo, o herói laranja, disse que eu preciso entender…estou sendo egoísta e só pensando em mim. A humanidade está em perigo.  Minhas dívidas e meus problemas que esperem. Sigo acompanhando a batalha em minha própria tela de computador.  Se o Super Guardião Itaú demorar mais um pouco, o convidarei  a fazer companhia ao sr. Incrível, como herói aposentado.

You give love a bad name

imagesVocê chega aqui com fama de galã…Apesar da idade, dos cabelos menos volumosos e das ruguinhas, ainda existem milhares de mulheres loucas para te dar um beijinho e outras coisas mais. Mas o tempo é inclemente com todos… a visão já não é mais a mesma… muita luz, reflexo dos holofotes, você não está enxergando nada, fica confuso. Você  acha que está vendo uma morena espetacular acenando. Não é só isto… ela ainda está carregando uma faixa que diz algo sobre os velhos tempos… Falar do seu passado te satisfaz , te  lembra do  tempo em que você era pegador, em que não perdoava nada. Você sabe que não é mais menino, que a fase  Mr. Magoo chegou, mas satisfazer o seu ego é maior do que qualquer dúvida que a sua visão possa gerar. Você pensa que ainda é o cara. Entendo…é natural, você só anda de limousine, uma multidão paga caro e grita por você. Mesmo correndo riscos, você confia no seu taco e acredita que não vai ter erro, que irá se  dar tão tão bem como acontecia há vinte anos…

Você dá uma piscadinha e manda ela subir…

Ela vem correndo, empolgada. Umas 80 mil pessoas assistem pelo telão, conversam entre si e discutem se você está mesmo com limitações de visão ou se tomou muita coisa no camarim. Estes “esquentas” são perigosos, né Jon ?  Ela chegou…Agora não tem mais jeito…Vai ter que rolar selinho e musiquinha ao pé do ouvido da criatura. Você é profissional mas não é de ferro. No meio de tantas músicas meladas do seu repertório, como se inspirar com esta musa ?Já era…. Que sucesso cantar ? O baterista grita: vai de  “You give love a bad name”… Você se lembra do refrão, mas o que te motiva mesmo são versos que você achava que eram secundários. Você enche o peito e solta a voz:

Whoa!
You’re a loaded gun
yeah, whoa…
There’s nowhere to run
No one can save me
The damage is done

Nada mais adequado para o momento e para aliviar um pouco da sua angústia.

Você está ainda está tenso, suando, mas sabe que não tem jeito. Faz parte do script do show….Vamos acabar logo com isto : 3,2,1 e  rola o beijinho. O público, que aplaude qualquer coisa, aplaude. Ufa, acabou…

É Bon Jovi, como saiu caro este cachê…

Togas Enroladas

imagesEscrever sobre embargos infringentes e o emocionante “tie break” em que se transformou o julgamento do processo do chamado “Mensalão” é uma uma ofensa aos meus bons amigos advogados, os únicos capazes de ao mesmo tempo, compreender as chicanes linguísticas e o parnasianismo bilaquiano com que discursam alguns dos ilustres ministros do STF e decifrar o que se passa na cabeça dos senhores de toga .

Na verdade, deixando de lado as prosopopéias, metonímias e hipérboles que pautam as discussões de Brasília, complicado mesmo é compreender a lógica da hierarquia do judiciário. No mundo onde os mortais vivem, há uma certa racionalidade  para as decisões…Nas empresas os presidentes tem um poder de decisão maior que os diretores, que por sua vez “podem” mais do que os gerentes…No exército há algo parecido, generais mandam mais do que coronéis, que por sua vez tem mais poder que os tenentes (há algo comum entre os dois exemplos citados, tanto soldados como estagiários não decidem nada mas cumprem as determinações de seus superiores).

Eis que chegamos ao judiciário. Ingenuamente, eu achava que a denominação “Supremo” indicava que se algo fosse decidido nesta instância, a decisão estaria efetivamente tomada e seria cumprida. Percebo hoje que não existe um “Supremo”, que decida e paute as instâncias inferiores. Os ministros abrem e reabrem as discussões de acordo com suas convicções pessoais e conseguem a proeza de fazer com que absolutamente nada de prático aconteça. Os puristas sempre dirão que é melhor a justiça tardia do que a inexistência de justiça.  Sim, sem dúvida. Tenho a impressão no entanto, que o judiciário brasileiro irá se notabilizar globalmente por criar a  “justiça de enceradeira”, que roda, roda, roda e não sai do lugar. Cada sessão do STF  parece um pouco com um jogo de tabuleiro: volte uma casa, retorne ao início, perca a sua vez, fique uma rodada sem jogar. O ponto é que não dá para os ministros fazerem de conta que estão disputando  uma animada sessão de “Banco Imobiliário” em um fim de semana chuvoso.  Eles estão tratando de assuntos sérios para a construção da imagem do poder que representam e para a confiança nas instituições do Brasil. Se for para andar em círculos (ou melhor,para facilitar a compreensão dos iluminados de toga : ao  redor do conjunto de pontos cuja distância ao centro é menor ou igual a um dado valor – também chamado de raio) mudem nome de  “Supremo” para  “Supreme”, em homenagem ao meu sabor favorito no Pizza Hut. Será mais apropriado.

Lições

Imagem

Aprendi que conhecimento e cultura são as únicas coisas que ninguém te tira, mesmo sob tortura.

Aprendi que é possível capotar uma Kombi andando de marcha ré e que é impossível cozinhar macarrão com água do mar.

Não aprendi serviços domésticos de hidráulica, elétrica ou marcenaria. O “Marido de Aluguel” existe para isto.

Aprendi que inteligência e caráter não necessariamente andam juntos com roupas combinadas ou de moda.

Aprendi que construir ou reformar uma casa pode te dar prazer, desde que o empreiteiro seja bom e seus recursos e seu tempo sejam infinitos.

Não aprendi a passar as férias de inverno congelando na única casa sem aquecimento de toda a serra da Mantiqueira e encarar isto como um ato estóico.

Aprendi que as linhas da arquitetura devem ser sempre retas, mesmo que a vida seja cheia de curvas.

Não aprendi o que acontece com o corpo quando se misturam todas as bebidas destiladas, fermentadas, gaseificadas ou pasteurizadas que possam ser ingeridas.

Aprendi que a vida dá voltas mas que o tempo não volta.

Aprendi que primeiro vem o quadro, depois se encontra a parede onde pendurá-lo.

Não aprendi porque ter um carro coreano quando se pode ter um carro alemão.

Aprendi o valor da família mesmo sem ter aprendido a importância de ter uma tia avó que foi tataraneta da prima em terceiro grau da marquesa de Santos.

Aprendi que por vezes é mais fácil escrever do que falar, mesmo sabendo que o que está escrito é o que deveria ter sido falado.

Não aprendi a admirar beleza de uma usina termoelétrica.

Aprendi que herança se mede em educação e princípios e não em reais.

Aprendi que a habilidade para dançar e alongar o corpo tem um alto componente genético.

Aprendi que julgar é mais fácil do que fazer.

Aprendi que ser pai é bom e que o bom de ser pai é continuar aprendendo.

Posts anteriores

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Rumo a um bilhão de hits

  • 42,739 hits

Páginas mais populares

dezembro 2014
S T Q Q S S D
« jul    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
%d blogueiros gostam disto: